Entrevista do mês – representante Adilson Tavares, da Capital Representações

A entrevista deste mês é com o representante Adilson Tavares, 49 anos, da Capital Representações, do ABC Paulista. Com 19 anos de Taranto, ele conta um pouco da sua trajetória no setor de autopeças.

Desde quando você está com a Taranto?

Estou na Taranto desde 20/10/1998. São quase 19 anos de casa, atendendo a região do grande ABCDM. É uma grande satisfação fazer parte desta empresa e acompanhar a trajetória da marca no Brasil, desde início de tudo, e hoje ver o tamanho da empresa que se tornou, com grande expansão e com espaço para crescer ainda mais.

O que significa para você a profissão de representante?

Ser representante é muito gratificante. Claro que todos buscamos uma vida melhor para nós e nossas famílias, mas o grau de amizades conquistas  quando  trabalhamos em uma grande empresa e com produtos de qualidade, é um orgulho, com certeza.

 

Conte para nós alguma história curiosa que já aconteceu com você nestes anos de atuação de mercado?

Uma história que marcou muito aconteceu em 2001. O crescimento da Taranto Brasil foi como um cometa. Os  aparelhos celulares já estavam funcionando bem no Brasil. Todas as manhãs, eu já acordava com o telefone tocando, com uma ligação atrás da  outra de clientes com pedidos urgentes e “para ontem”.  Era uma correria, fazendo pedidos, enviando o fax, buscando mercadoria.  Todo começo é assim, com muito empenho, mas para nossa alegria as metas eram sempre cumpridas e o churrasco no final do mês celebrava as vitórias.

O que mudou no mercado de autopeças? 

Eu acredito que a mudança ainda varia de região para região. No grande ABCD ainda existem os clientes conservadores que gostam das autopeças antigas. Claro com algumas mudanças. Hoje as autopeças foram transformadas, estão mais limpas, com fachadas bonitas, mas não como supermercados onde o cliente entra e pega o seu produto, o profissional do balcão se faz cada vez mais presente.

Qual o recado que você deixa aos clientes?

Não tenho mais clientes e sim grandes amigos que conheci nestes longos anos. Só tenho a agradecer a todos eles por estarmos juntos nestes 19 anos. Peço que tenham um pouco de paciência comigo não vou me aposentar tão cedo, vocês vão ter que me aguentar (É brincadeira, viu pessoal?). Quero agradecer a Deus por estar na Taranto e depois aos amigos que conquistei nestes longos anos.