Como manter um bom estoque?

a href=”http://www.j1d.com.br/taranto/wp-content/uploads/2014/05/estoque.jpg” rel=”nofollow”img class=”size-medium wp-image-800″ src=”http://www.j1d.com.br/taranto/wp-content/uploads/2014/05/estoque-291×388.jpg” alt=”Para quem tem alto giro, o estoque pode valer a pena” width=”291″ height=”388″ / rel=”nofollow”/a Para quem tem alto giro, o estoque pode valer à pena

Um bom e organizado acervo de peças pode ajudar a melhorar a rentabilidade da oficina, para isso, elencamos algumas informações práticas para ajudar.

Para montar um estoque, é preciso ter consciência que os componentes serão para um destino específico: agilizar a produtividade da oficina, pois como já diz o velho ditado “tempo é dinheiro”. Portanto, quando entra um carro para fazer uma manutenção mais demorada, que exigirá a aquisição de diversas peças, não faz sentido utilizar o estoque, a não ser que o mercado de reposição esteja com falta de determinado item. Além disso, nestes casos, fica mais fácil justificar o custo da manutenção, pois o reparador tem como comprovar, através da nota fiscal da loja, o preço das peças adquiridas anteriormente.

• A primeira etapa é elaborar um planejamento e detectar os prejuízos e benefícios de um estoque para a oficina.

• É importante conhecer a rotina de peças da oficina para montar um estoque. Para isso, é essencial avaliar quais as peças de maior rotatividade na oficina. O objetivo é armazenar componentes de maior giro, agilizando o processo produtivo, justamente para planejar o que fazer, antes de sair comprando peças aleatórias e gastando mais que o necessário.

• Faça um levantamento dos modelos mais atendidos pela oficina, separados por marca, modelo, motorização e ano. São essas informações que influenciarão no planejamento de peças importantes para o estoque.

• Lembre-se: Não é porque houve promoção de determinada peça que se deve comprar em grandes quantidades. Isso pode sair caro se a peça não tiver rotatividade na oficina.

• Comece o levantamento de carros por aqueles que já são clientes na oficina. Consulte também a regularidade de manutenção de cada veículo.

• Tenha sempre em mãos peças de manutenção rápida, para evitar ao máximo que o carro passe a noite na oficina, por exemplo. Quanto menor o tempo do veículo parado na oficina, melhor.

• É possível montar um estoque a partir do tempo de renovação, por grupos de peças. Por exemplo: o grupo A seriam as peças de renovação semanal, o B, mensal e o C, trimestral. Com isso, fica mais fácil programar a compra.

• Depois de definidas as peças essenciais para se ter em estoque, é necessário elaborar um sistema de controle eficiente, para que não faltem componentes e isso não atrapalhe o andamento da oficina.

nbsp;

*dicas da revista Notícias da Oficina





Categorias: Oficina